Pedalada percorre caminhos rurais que ligam Paraibuna a Natividade da Serra (SP)

Balsa chegando na Represa de Paraibuna

Balsa chegando na Represa de Paraibuna

Chão de terra batida, boiadas cruzando fazendas e braços da Represa de Paraibuna sempre à vista são algumas das paisagens e experiências que uma pedalada pela Serra do Mar entre a capital e o litoral de São Paulo proporciona. Para curtir dois dias pedalando num visual assim, basta ter disposição, uma magrela em boas condições e garantia de tempo firme.

O roteiro

Nada de engarrafamentos nem aglomerações. O diferencial deste roteiro é percorrer de bicicleta as estradas rurais que ligam Paraibuna a Natividade da Serra. São dois caminhos com  trajetos diferentes para ida e volta (Caminho 1, de 43 km, e Caminho 2 , de 47 km). Quem pedala forte conclui o passeio de aproximadamente 90 km no mesmo dia. Mas como esta não é a realidade da maioria dos mortais o ideal é sair bem cedo, pedalar metade desta quilometragem e encerrar as atividades parando em uma das duas simpáticas cidadezinhas. Afinal, nada como uma boa noite de sono para recuperar as energias e voltar ao ponto de partida no dia seguinte.

Por onde começar

O pedal pode começar a partir de qualquer um dos pontos, Paraibuna ou Natividade da Serra. Veja como chegar em cada uma das cidades:

Paraibuna: Siga pela rodovia Ayrton Senna/Carvalho Pinto até o quilômetro 96, entre à direita na rodovia dos Tamoios (SP 99) sentido Caraguatatuba e continue mais 19 km até Paraibuna. Total: 124 km.

Natividade da Serra: Siga pela rodovia Ayrton Senna/Carvalho Pinto até o quilômetro 130, entre na Via Dutra sentido Rio de Janeiro até a saída 111 e continue na rodovia Oswaldo Cruz SP-125, sentido Ubatuba. No quilômetro 21 entre à direita e siga por mais 36 km até Natividade da Serra. Total: 184 km.

Não esqueça de levar

Para você: Na bagagem calcule pelo menos um litro de água por pessoa, alimentos energéticos como barra de cereais, castanhas, frutas e um bom sanduíche para salvar  a situação no meio do passeio – não há nenhum “ponto de venda” durante o percurso. Leve também capa tipo anorak para chuva e vento e um conjunto básico de roupas para troca, lembrando de não carregar muito peso.

Para sua bike: Uma bicicleta com marchas é providencial, com lanterna fixada no guidão, bagageiro (opcional), câmara reserva, bomba de ar e ferramentas básicas como chave de boca nº 14 e 15, chaves de fenda e allen, além de uma boa revisão antes da partida.

Lembrete importante

Em três diferentes pontos do passeio é preciso atravessar a Represa de Paraibuna em balsas da CESP. O serviço é gratuito, e é oferecido a cada hora cheia por 24 horas.

Anúncios

Sobre Vitor Souza

tem 25 anos é formado em Engenharia Ambiental e Sanitária. @vitorhc_ E-mail Site Save no Facebook

Publicado em 10/08/2013, em Meio Ambiente, Ser Mais Humano e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: