Arquivos do Blog

Entrevista com Cranio: personagens vibrantes e a crítica social

"Dinheiro público "

“Dinheiro público “

Fabio Oliveira, mais conhecido como Cranio, nasceu em 1982 e cresceu na zona norte de São Paulo. Foi no ano de 1998 que Fabio começou a cobrir o cinza dos muros; além de sprays, ele leva em sua mochila muita criatividade e bom humor.

Leia o resto deste post

Banksy vende obras originais em barraquinha e ninguém percebe

Stall tight privateEm mais uma intervenção nas ruas de NY, o artista de rua Banksy montou uma banca em uma feirinha e colocou suas obras originais à venda por US$60 cada. Passaram-se horas até que aparecesse o primeiro comprador.

Durante o dia, nenhuma das pessoas que compraram os trabalhos parecia fazer ideia do que se tratava nem de quem seria seu autor. US$420 foram arrecadados e um vídeo foi feito documentando as vendas. Ele pode ser assistido abaixo.

Leia o resto deste post

ILUSTRAÇÕES OBSCURAS DE RAFAEL TAVARES

Rafael Tavares é um ilustrador paulistano que desde 2001 fez de suas paixões profissão. Segundo sua biografia gosta de arte desde pequeno, lia HQ’s, que como ele mesmo diz, o influenciavam e sempre impressionavam.

Depois de mais velho passou a gostar de filmes de terror, ficção científica e lados-B do cinema. Sua paixão por coisas obscuras também era refletida na música: Os gêneros que Rafael mais gosta são o black e o deathmetal.

Leia o resto deste post

AS CABEÇAS DO HIP HOP POR DALE MURRAY

O designer gráfico londrino Dale Edwin Murray possui um site que vale a pena passar um tempo fuçando. O cara já mandou ilustrações super legais para grandes revistas, jornais e marcas, mas foi um dos seus projetos pessoais que chamou a minha atenção.

Em sua série Hip hop heads, Dale criou diversas ilustrações dos grandes nomes do hip hop. Apesar de executadas num estilo minimalista, fica claro quem são os produtores, escritores e artistas ali representados.

Leia o resto deste post

Documentário sobre OSGEMEOS tem exibição gratuita no CCBB

Sessão integra o festival de documentários É Tudo Verdade

31-600x337_1

Dentro da programação do festival internacional de documentários É Tudo Verdade, estreou no último sábado, 6, o longa-metragem “Cidade Cinza”, dos diretores Marcelo Mesquita e Guilherme Valiengo. O filme traz depoimentos da dupla de grafiteiros OSGEMEOS, Nina, Finok, Zefix e Ise, e tem trilha sonora assinada por Criolo e Daniel Ganjaman.

Quem não pôde assistir à sessão gratuita terá uma nova oportunidade no próximo final de semana. O Centro Cutural Banco do Brasil (CCBB) exibe a filme no próximo domingo, 14, às 18h, com entrada Catraca Livre.

O longa discute, essencialmente, o graffiti de São Paulo – nascido num cenário em que o hip hop americano foi substituído pela valorização da cultura regional brasileira. Apresenta o trabalho da dupla OSGEMEOS e outros artistas que espalharam suas cores pelas ruas da capital paulista e por galerias de  todo o mundo. O centro da discussão é a lei criada pela prefeitura em combate à poluição visual que cobriu diversas pinturas de cinza.

Mais informações sobre o festival É Tudo Verdade 2013 estão disponíveis no site oficial.

DOC “A RUA É DELAS” – GRAFITEIRAS DE SALVADOR

O mini documentário “A Rua é Delas” mostra a participação feminina na cena do grafite em Salvador e traça o perfil das artistas mais conhecidas da Bahia. Produzido com base nos depoimentos de RBK, Monica, Chermie e do grafiteiro Julio Costa, o material também  rendeu um artigo intitulado “A Mulher na Produção do Grafite de Salvador” com o propósito de preencher a lacuna deixada por estudos e discussões do gênero que excluem ou abordam superficialmente a participação da mulher.

Leia o resto deste post

5A. EDIÇÃO DA WALKING GALLERY – SÃO PAULO

foto de Zanone Fraissat/Folhapress

No próximo domingo, dia 14, acontece pela quinta vez em São Paulo a WALKING GALLERY, movimento cultural que se identifica com o gesto do artista de transportar sua obra de arte pelas ruas da cidade, tanto em grupo como sozinho.

Leia o resto deste post

Fosso de elevador por Insane

67795_487849471269159_1468793094_n

 

Este trabalho em um fosso de elevador faz parte de um projeto da curadoria da Zupi, de Allan Szacher em parceria com a MaxHaus, uma construtora que convidará artistas para fazer 40 fossos em 20 prédios espalhados por São Paulo e outros lugares.

O trabalho abaixo foi feito por Insane, grande grafiteiro daqui da cidade de Jundiaí! VEJA O TRAMPO COMPLETO!
JOIN!

Leia o resto deste post

O BOM HUMOR NAS ILUSTRAÇÕES DE CHOW HON LAM

A brincadeira virou coisa séria. O ilustrador Chow Hon Lam, natural de Kuala Lumpur na Malásia, se propôs a criar uma ilustração por dia durante um ano.

O projeto ficou conhecido como “Flying Mouse 365″. Flying Mouse é como Lam é conhecido hoje. Seu trabalho, bem humorado, irônico e que às vezes pode até ser usado como forma de protesto, foi tão reconhecido que Mouse já trabalhou para grandes empresas como a Nike e a equipe Lotus de Fórmula 1.

Leia o resto deste post

Projeto conecta artistas de rua a donos de espaços urbanos que precisam de arte

O Color+City encontrou um método simples para levar mais cor às ruas de São Paulo

reprodução

Para se inscrever é necessário ter uma conta no Google +

Pintar muros, fachadas ou quaisquer espaços livres a céu aberto é um trabalho e um prazer para grafiteiros e artistas. Ter os muros, fachadas e espaços livres de sua propriedade pintados também é bom para aqueles que apreciam a arte. Porque, então, não fazer essa conexão entre vontade e execução? Graças ao projeto Color+City, isso já está sendo feito.

Tudo é feito de forma simples: artistas e proprietários usam um mapa interativo para “trocar” os lugares a serem pintados. Basta se cadastrar na página do projeto para “doar” ou “reservar” um espaço urbano.

No mapa, são mostrados os lugares disponíveis, reservados e já pintados. Qualquer um pode reservar, desde que respeite a apenas duas restrições: cada artista pode reservar um local por vez e, uma vez feita a reserva, ele tem 15 dias para usar o espaço.

A intenção do projeto, criado pelo Google, é fornecer uma ferramenta para tornar o graffiti ainda mais democrático e convidar a população a olhar com maior atenção para os muros da cidade. Assista ao vídeo do projeto abaixo e divulgue seu slogan: “MAIS COR, POR FAVOR”.

via

%d blogueiros gostam disto: