Arquivos do Blog

Nova invasão de madeireiros em Terra Indígena gera vítima no MA

Um conflito entre os índios Ka’apor e madeireiros gerou uma vítima fatal nessa última quinta-feira, dia 15 de outubro, segundo relatos vindos da região.

Leia o resto deste post

Greenpeace denuncia carregamento de madeira na Europa

2014-11-06-a

Um navio de carga com madeira da Amazônia foi surpreendido por ativistas do Greenpeace quando se aproximava do Porto de Roterdã, na Holanda. A madeira a bordo foi exportada pela serraria Rainbow Trading – uma das serrarias denunciadas pela organização ambientalista por receber e comercializar madeira ilegal. Os ativistas estenderam uma faixa com a mensagem: “Chega de madeira ilegal”. A carga, comprada pela comercializadora belga Leary Produtos Florestais, é destinada para as empresas Lemahieu e Omniplex, também da Bélgica.

Leia o resto deste post

Greenpeace X P&G

Nesta segunda-feira, ativistas abriram um enorme banner em uma área de floresta na Indonésia que foi destruída para a produção de óleo de palma por uma fornecedora da P&G. o

Mais de meio milhão de pessoas já avisaram não querem produtos feitos com a destruição de florestas. E nos últimos dias, mais de 260 mil mandaram mensagens diretamente à P&G (Procter & Gamble) – dona da Head & Shoulders – cobrando uma produção limpa. É que a empresa, que vem fazendo sucesso com seus anúncios de shampoo e condicionador, continua utilizando em seus produtos óleo de palma de fornecedores que desmatam as florestas da Indonésia.

Leia o resto deste post

MORATÓRIA DA SOJA É RENOVADA PELA ÚLTIMA VEZ

Moratória da soja é renovada pela última vez.

Na semana passada, a moratória da soja foi renovada por mais um ano. Criada em 2006 como resultado de uma campanha liderada pelo Greenpeace, ela estabelece a não comercialização de soja oriunda de fazendas envolvidas em desmatamento na Amazônia após julho daquele ano, e assim ajuda a impedir a destruição da floresta.

Leia o resto deste post

Greenpeace usa falso comercial para criticar Coca-Cola

Em vídeo, Greenpeace Austrália acusa empresa de contribuir para a poluição dos mares com lixo plástico, apontado como principal causa da mortandade de pássaros no país

Menina em comercial do Greenpeace contra Coca-Cola

No começo, parece um anúncio de refrigerante comum, com gente bonita e sorridente curtindo a bebida durante um dia ensolarado numa praia paradisíaca. Até que um, dois, três, quatro, um verdadeiro bando de pássaros despenca do céu. Todos mortos.

O vídeo feito por ambientalistas do GreenpeaceAustrália imita um anúncio da Coca-Cola para responsabilizar as garrafas de plástico pela poluiçãodos mares, apontada pela ong como principal causa da morte de milhares de aves no país, que confundem detritos  plásticos com alimento.

De acordo com o Greenpeace, 65% das aves são afetadas por esse tipo de poluição. “Quando eles engolem, seus pequenos estômagos se tornam tão cheio que eles são incapazes de ingerir qualquer alimento e literalmente morrem de fome”, diz o grupo.

Em março deste ano, a Coca-Cola ganhou na Justiça o direito de impedir uma política de reembolso de 10 centavos para incentivar a reciclagem na região Norte do país. Esse incentivo teria contribuído para dobrar as taxas de reciclagem no território e operado com sucesso no Sul da Austrália durante mais de 30 anos, diz a ong.

Em sua defesa, a Coca-Cola argumenta na mídia local que o esquema foi um fracasso, com aumento de apenas 33% da taxa de reciclagem, e que o método de reembolso é o mais caro e ineficiente para tal finalidade.

via

GREENPEACE MANDA RECADO PARA OBAMA

2013-03-28

Quando o presidente norte-americano, Barack Obama, foi reeleito em 2012 para mais quatro anos de mandato, ele prometeu que o melhor estaria por vir. Será? Bom, quem pode garantir que o futuro mundial será, de fato, melhor é o próprio Obama. E uma das principais atitudes que ele pode tomar é a de proibir qualquer exploração predatória e comercial no frágil ecossistema Ártico.
Participe
Esse foi o recado que ativistas do Greenpeace levaram, ou melhor, penduraram na Ponte Calatrava, em Jerusalém, em Israel. Um banner de aproximadamente 150m² com a mensagem “Obama, você pode impedir a perfuração no Ártico” foi desenrolada do alto da ponte.

Se o presidente norte-americano quer ser um líder mundial precisa começar a agir como um. Essa é a chance que ele tem de dar o primeiro passo para que o derretimento das geleiras do Ártico não seja uma oportunidade de lucros cada vez maiores com a exploração de petróleo.

A proteção de um dos mais importantes ecossistemas do mundo depende da nossa ajuda e é por isso, que sua contribuição é muito importante. Junte-se a nós e faça com com que a Shell e outras empresas petrolíferas fiquem bem longe do Polo Norte.

Fabiana Alves Um grande abraço,
Fabiana Alves
,
da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace Brasil

via

Zara natureba

Greenpeace acaba de ganhar uma batalha e tanto. Depois de criar a campanha Detox, em 2011, que presta uma crítica às marcas que se preocupam demais em vender, e de menos com o que a produção desenfreada causa no meio ambiente, a ONG conseguiu tocar o coração da maior varejista de moda do mundo, a Zara. Na última quinta-feira, 28/11, a Inditex, grupo têxtil do qual a rede de fast fashion faz parte, afirmou que vai eliminar todas as substâncias químicas do processo de produção até 2020. Mas falando a curto prazo, a Inditex também vai exigir que seus fornecedores divulguem todas as informações da matéria-prima utilizada até março de 2013.
A decisão de aderir à desintoxicação veio apenas oito dias depois da publicação do relatório “Fios tóxicos: o grande remendo da indústria da moda”, resultado de um estudo que encontrou elementos tóxicos nas roupas das maiores marcas. Ele foi lançado na China e divulgado nas redes sociais por mais de 300 mil pessoas. Fora que, depois dele, mais de 700 mil pessoas foram protestar em portas de lojas da Zara ao redor do mundo.
Os membros do Greenpeace estão felizes da vida – e com razão. Agora a mensagem que deixam é: “Se a maior varejista de moda do mundo pode mudar, não há desculpa para que as outras marcas não limpem sua cadeia de produção”.
Apoiadíssimos!

Foto: Greenpeace/Alban Kakulya

via

Liga das Florestas / Greenpeace

 

A Liga das Florestas precisa de heróis. A fauna e a flora brasileiras estão em risco, e com elas o futuro do Brasil. Mas você pode ajudar a salvá-los. O Greenpeace lança, com outras organizações, um projeto de lei popular pelo desmatamento zero de nossas matas. Ao assinar a petição no site, e ao compartilhar e estimular seus amigos a fazerem o mesmo, você acumula pontos, ajuda a proteger um dos bens mais preciosos que o Brasil possui e ainda ganha prêmios. Participe!

Acesse o site do Greenpeace para assinar a petição.

via

Tecnologia Verde – O “Guide to Greener Eletronics” do Greenpeace

Encerradas as celebrações de fim de ano, enfim chegou o momento de desmistificar e curtir aquele seu tão esperado presente de natal. Sem precisar recorrer a nehuma habilidade paranormal, posso concluir que se trata de um aparelho eletrônico, pode ser uma TV, um celular, computador, sei lá, mas a verdade é que todo ano a matemática é a mesmapromoções de fim de ano + consumidores desesperados = milhões de novos aparelhos eletrônicos no mundo.

Mas será que a conta fecha? O que será que acontece com os aparelhos antigos que estamos substituindo? E mais, será que as empresas fabricantes destes produtos estão sendo responsáveis em suas atividades?

A primeira edição da revista Super Interessante de 2012 organizou alguns dos resultados do projeto “Guide to Greener Eletronics” do Greenpeace, que avalia diversos aspectos da produção destes eletrônicos no mundo. O ranking é realizado desde 2006 e avalia as empresas de acordo com suas políticas e desempenhosem 3 áreas principais: Economia de Energia e Redução de CO2Resíduos e Lixo Tóxico e Produtos Mais Sustentáveis.

Apesar da estar em sua 17ª edição nestes últimos 6 anos, podemos notar que o desempenho das empresas ainda é muito baixo, com exceção da HP e da DELLtodas as demais empresas do setor receberam notas abaixo de 5. Mesmo as 2 primeiras colocadas não conseguiram atingir a nota 6, o que mostra que ainda há um longo caminho a ser percorrido.

Greenpeace ainda emite um relatório detalhado sobre cada empresa e seus desempenhos dentro dos critérios avaliadosVale a pena conferir aqui, se o fabricante do seu brinquedinho novo está ou nãopensando em ajudar o planeta. 

via

%d blogueiros gostam disto: